Psicoterapia Adultos

A história de um adulto começa muito lá atrás no tempo...num tempo em que a reflexão e racionalidade sobre o vivido pode não existir.

Assim, parte da psicoterapia do adulto pode significar revisitar o passado para redescobrir o presente e o futuro. E do que se fala quando disto se fala? Por vezes, as problemáticas atuais ou os sentimentos atuais não são mais do que um despertar de vivências antigas, as quais podemos nunca ter reflectido.

Para além disso, há momentos na vida em que nos podemos sentir tristes, deprimidos ou ansiosos,ter medos persistentes, entre outros estados. Por vezes conseguimos sentir alguma capacidade de gestão e controle sobre esses estados e emoções, mas por outros começamos a sentir que eles se estão a tornar incapacitantes e a influenciar o nosso dia-a-dia de forma persistente, assim como as nossas reacções várias.

 

Assim, o processo psicoterapêutico pode ajudar a pessoa  a tomar consciência das causas desse mal estar, assim como minimizar as suas consequências e prevenir a sua reincidência. 

Sempre que estamos libertos desses estados de sofrimentos, sentimos mais criatividade, fluidez e bem-estar.

Existem também hoje em dia diversos papéis que o adulto tem que assumir. Desta forma, esses diversos papéis e a necessidade de os realizar de forma bem sucedida pode acrescentar stress e um sentimento de pressão sobre nós próprios que nos pode levar a estados mais perturbadores de tensão e burnout ou esgotamento. Assim, um processo terapêutico é também um convite a cuidar de si e a perceber as suas necessidades para poder posteriormente responder a elas, reencontrando o equilíbrio.

A psicoterapia com adultos é ainda um processo de tomada de consciência de como é a sua relação consigo mesmo e com os outros (nos vários âmbitos em que está inserido). 

 

Procura-se desenvolver um entendimento e conhecimento sobre como pensa, sente e actua nos diferentes contextos da sua vida, dando-lhes um significado e entendendo quais os aspectos que é importante manter e fortalecer e quais é necessário alterar.​

Assim, é possível procurar a ajuda de um psicólogo para qualquer situação vivencial ou permanente que esteja a ser de difícil gestão por parte da pessoa.

Quando procurar ajuda?

  • Stress

  • Problemas conjugais

  • Separação e divórcio

  • Depressão

  • Perturbações da Personalidade

  • Perturbações de ansiedade e ansiedade generalizada

  • Dificuldades na relação (laboral, social, familiar, conjugal)

  • Luto

  • Problemas profissionais

  • Bullying e Mobbing 

  • Sofrimento prolongado

  • Adaptação à doença

  • Adaptação a situações de mudança

  • Medos e pensamentos obsessivos

  • Percepção de baixa auto estima e insegurança na presença social

  • Crises de pânico e fobias

  • ​Perturbações psicossomáticas

  • Traumas: abuso sexual, maus tratos físicos e psicológicos

  • Perturbações sexuais

  • Perturbações do sono (por exemplo, insónia)

  • Perturbações da alimentação​

Psicoterapia Crianças

É muito importante entendermos que para trabalharmos ou intervirmos com uma criança temos que trabalhar e intervir no sistema no qual ela está inserida, para obtermos melhores resultados.

Assim, a psicoterapia infantil procura dar resposta e auxiliar na resolução das dificuldades que apareceram e se mantêm na vida da criança e da família, e que estão a interferir com o seu bem-estar a nível social, escolar , físico, entre outros.

Os pais devem estar assim atentos a sinais que denotem alteração nos comportamentos ou que manifestem mal-estar na criança, seja por falta ou excesso de comportamentos da mesma. É também possível procurar um psicólogo para verificar que as crianças estão a percorrer um desenvolvimento saudável dentro dos estágios previstos ou para encontrar uma forma mais harmoniosa de se relacionarem com os seus filhos.

Detectar algo a tempo pode ser extremamente importante no futuro, sendo que o mais importante é que as crianças cresçam num ambiente de carinho, afecto, segurança e contenção afectiva. 

Qual o processo?

Num primeiro momento , procede-se à identificação da situação e ao conhecimento da criança com os pais e/ou com a mesma, recolhendo informação e analisando os diferentes aspectos da vida presentes e passados da criança e da família. Posteriormente podem ser realizados alguns testes de avaliação para verificar o funcionamento da criança na atualidade e recolher informações que possam ser úteis ao processo terapêutico

Na etapa seguinte, toda a informação é devolvida aos pais e são identificadas as necessidades da criança e as situações que podem estar na origem do mal-estar ou problemática. Elabora-se assim uma proposta de acompanhamento psicoterapêutico com o objetivo de repôr o equilíbrio e bem-estar.

Como já referido a terapia infantil trabalha em conjunto com a criança e a família. Assim, é muito importante a implicação de todos os membros e que participem activamente no processo.

​​

Algumas problemáticas comuns na infância e perante as quais é importante procurar um psicólogo:

  • Terrores nocturnos, fobias, medos e ansiedade

  • Perturbações do sono

  • Bullying ou violência escolar

  • Perturbações de aprendizagem

  • Dificuldades de concentração e atenção

  • Alterações significativas no desempenho escolar

  • Ciúmes patológicos entre irmãos

  • Dificuldade na adaptação à separação ou divórcio dos pais

  • Dificuldades na relação com os pais, familiares, pares ou outros figuras do envolvente da criança

  • Problemáticas de comportamento

  • Problemáticas de eliminação (enurese e encoprese)

  • Mutismo selectivo

  • Estados frequentes e intensos de tristeza

  • Problemas de alimentação

  • Manifestações psicossomáticas

  • Falta de competências sociais

  • Percepção de baixa autoestima

Psicoterapia Adolescentes

A adolescência é um período de profundas transformações: psicológicas, sociais, físicas, hormonais e identitárias. O adolescente passa a ter que integrar e se adaptar a essas mudanças, sendo este um processo complexo. Por outro lado, procura e pretende mais autonomia e independência para se experimentar a si mesmo no mundo, de forma individual. Há uma construção de projectos de vida e de objetivos para o futuro que começam a ser visionados e que podem também criar algumas dúvidas. Por outro lado, os pais precisam também de passar por um momento de adaptação a esta nova fase de vida dos filhos e libertar-se de anteriores formas de os verem . Esse processo pode também ser complexo e pode trazer alguns conflitos entre pais e filhos. Na adolescência há uma ruptura com a infância, originando novas formas de se relacionar consigo mesmo, com os pais e com o mundo exterior. No entanto, existem diferenças nas formas como este processo é vivido dependendo das características individuais de cada adolescente e do meio que o rodeia.

Na psicoterapia de adolescentes trabalha-se com base numa relação de confiança que possibilite ao adolescente expressar e elaborar pensamentos e emoções.

Algumas problemáticas comuns na adolescência e perante as quais é importante procurar um psicólogo:

  • Ansiedade e medos

  • Depressão

  • Perturbações do sono

  • Bullying ou violência escolar

  • Perturbações de aprendizagem

  • Dificuldades de concentração e atenção

  • Alterações significativas no desempenho escolar

  • Fobia escolar

  • Isolamento ; timidez e fobia social

  • Dificuldade na adaptação à separação ou divórcio dos pais

  • Dificuldades na relação com os pais, familiares, pares ou outros figuras do envolvente da criança

  • Problemáticas de comportamento

  • Problemáticas de eliminação (enurese e encoprese)

  • Mutismo selectivo

  • Estados frequentes e intensos de tristeza

  • Problemas de alimentação

  • Manifestações psicossomáticas

  • Baixas competências sociais

  • Percepção de baixa autoestima

  • Comportamentos agressivos e desafiantes em excesso

  • Baixo autocontrolo e forte impulsividade

  • Problemáticas sexuais

  • Dificuldade em identificar a orientação sexual

  • Comportamentos adictivos​

É importante estar atento se:

  • Há problemas constantes de relacionamento entre o adolescente e os seus pais

  • Se sente falta de orientação vocacional

  • Se tem dificuldades em relacionar-se com o sexo oposto ou com o próprio

  • Se sente dificuldades em definir a sua orientação sexual ou em expressá-la

  • Se apresenta com frequência comportamentos psicossomáticos

  • Se está a viver o divórcio dos pais ou alguma outra alteração da vida e está perturbado mais do que o normal. 

  • Se o seu estado de ânimo influencia negativamente o seu funcionamento no ambiente escolar, familiar o social.

  • Se apresenta ataques frequentes de ira e mau humor, bruscos e persistentes. 

  • Se apresenta baixa autoestima, auto-crítica, ou comportamentos autodestrutivos

  • Se sofre ou sofreu mudanças significativas nos hábitos de sono ou alimentares

  • Se apresenta perturbações da alimentação: anorexia,  bulimia

  • Se o seu estado de ânimo é frequentemente depressivo 

  • Se está com frequência a pensar na morte

  • Se abandonou actividades que lhe davam prazer e se isolou dos amigos e família e apresenta sinais intensos de isolamento, solidão, timidez 

  • Se houve alterações significativas no desempenho escolar 

  • Se apresenta comportamentos adictivos ao álcool, drogas e uso de Internet 

  • Se persistentemente desafia a autoridade 

Terapia Casal

Dada a natureza de uma relação tão próxima e íntima, podem surgir conflitos e mal-estares difíceis de resolver e que se intensificam se estivermos perante situações de alteração de vida do casal. A chegada do primeiro filho, mudanças de trabalho, desemprego, doenças de familiares ou pessoas próximas que originam estados de luto, entre outras, são momentos em que um ou ambos os elementos do casal podem estar a ter dificuldade em se adaptar a uma nova realidade, originando também dificuldades na adaptação do casal.

Por outro lado, numa relação íntima e próxima muitos dos padrões relacionais anteriores também são transportados para a relação, podendo tal encaixar adequadamente com o outro elemento ou não, e a partir dessa possível dificuldade de encaixe surgirem conflitos no casal que implicam uma reflexão e auto-conhecimento profundo de ambos os elementos para um possível crescimento e evolução da situação.

Existem ainda momentos de crise entre o casal que podem ser caracterizados por infidelidades, afastamento e distanciamento emocional ou intenção de separação, onde é necessário avaliar e reflectir sobre o que levou o casal a esse ponto e se há condições e disponibilidade de ambas as partes para realizar um processo com vista a procurar encontrar um maior equilíbrio.

Problemáticas comuns em que pode ser importante procurar auxilio terapêutico para o casal:

  • Processos de possível separação e divórcio

  • Ciúmes

  • Situações de infidelidade

  • Dependência emocional

  • Dificuldade na adaptação do casal a situações vivenciais que alteraram a vida e o quotidiano do casal

  • problemáticas e conflitos na educação dos filhos

Terapia Grupo

A terapia de grupo é um tipo de terapia em que um grupo de pessoas reúne-se regularmente com um propósito terapêutico, sob a orientação de terapeutas.

Visto partilharem um propósito terapêutico importa reconhecer que a terapia de grupo incide geralmente sobre problemáticas psicológicas individuais que podem estar relacionadas com a ansiedade, relacionamento interpessoal, depressão, entre outras, mas que é realizada em contexto de grupo.

A terapia de grupo pode apresentar diversos benefícios:

  • permite o estabelecimento de relações que auxiliam a pessoa

  • sentimento de reconhecimento e validação dos sentimentos e vivências por parte de outros

  • estimulação do crescimento de todos os participantes através do grupo

  • percepção de que outras pessoas têm sentimentos e situações que podem ser de alguma forma semelhantes ao vivido pela pessoa

  • o facto de uma temática ser abordada por várias pessoas permite ainda o aumento da compreensão sobre ela, assim como o seu aprofundamento.

  • ao ser realizada em grupo permite ainda o desenvolvimento de competências interpessoais, como a comunicação, a capacidade de se expressar e se mostrar ao outro, desenvolver competências de acolhimento e compreensão do outro, empatia, etc.

  • ​A terapia de grupo proporciona um sentimento de pertença e aceitação.

Todo o processo decorre com o apoio e gestão do terapeuta que promove um ambiente seguro e validante, de compreensão entre todos, assim como de confidencialidade.

Terapia Online/ Skype

Assistimos atualmente ao crescimento e expansão das nossas tecnologias, sendo que tal também teve o seu impacto na prática da Psicologia, trazendo novas possibilidades de intervenção psicológica.

Pode ser realizada através de qualquer plataforma que permita videochamada e é utilizado por vezes em complementaridade com sessões presenciais mas noutras como via única de acompanhamento.

Permitem uma maior flexibilidade na gestão dos horários e locais onde ambos os intervenientes se encontram, facilitando por vezes a possibilidade de integrar um processo de acompanhamento terapêutico.

Importa no entanto, verificar com o psicólogo se este é o método mais adequado tendo em conta as necessidades e características da pessoa e da terapia.

 

©2020 por Sara Morgado. Criado orgulhosamente com Wix.com